Importância dos jardins

Os jardins que a natureza fornecem  ajudam a conservar o habitat das borboletas. A sustentar nossa diversidade cada vez menor e os ambientes naturais. OU seja, se um jardim é desenvolvido apenas para aprimoramento estético e necessidades domésticas, ele mostra pouca atração pela vida selvagem natural. Assim, os jardins que têm uma sensação de naturalidade são aqueles que podem fornecer o melhor habitat.

Importância de conservar o habitat das borboletas e as matas nativas

O restante da mata nativa, pastagens, zonas húmidas, etc, contêm os menus para os nossos jardins. Por isso, nós só precisamos duplicar o que aparece na natureza. Isto é, geralmente eles são autossustentáveis e requer pouca manutenção e custo para manter. A mata nativa remanescente contém plantas e animais que evoluíram juntos ao longo de muitos milhares de anos.

Cada planta e animal tem uma função especial ou nicho. Ademais, algumas plantas formaram relações simbióticas com outras plantas, fungos e até animais. Por exemplo, a interação que ocorre entre algumas borboletas, formigas e viscos em que cada um depende do outro para sobreviver. Além disso, o interior da cidade e remanescentes de vegetação suburbana, como riachos, cemitérios, etc, devem ser protegidos e preservados, se quisermos conservar o habitat das borboletas, pássaros e animais.

Borboleta e lagarta

Plantas de jardim floridas são as estações de descanso e reabastecimento para muitas borboletas. Porquanto, o néctar que eles fornecem é a principal fonte de alimento da borboleta após a metamorfose. Dessa forma, a melhor maneira de atrair uma variedade de espécies de borboletas para o seu jardim é fornecer uma boa variedade de plantas das quais elas podem colher o néctar de que precisam. Muitas pessoas pulverizam ou matam lagartas no jardim, sem entender que uma borboleta se transforma de uma lagarta. Por conseguinte: Nenhuma lagarta; nenhuma borboleta. Sem plantas alimentícias; sem borboletas, simples mesmo!

Números de borboletas geralmente diminuem durante o período de inverno. Se acaso notar visitas ao seu jardim, serão ocasionais. Provavelmente, se houver flores adequadas, especialmente se o seu jardim estiver em um local quente, protegido e protegido. Os jardins certos também atraem mariposas voadoras coloridas.

Dicas para planejar um jardim de borboletas – os principais ingredientes:

A maioria dos jardins artificiais, devem ser artificiais até certo ponto , pois quanto mais tentamos impor ordem e arrumação ao nosso entorno e usar produtos químicos, mais estamos interferindo e destruindo a natureza.
É nos cantos mais selvagens dos nossos jardins que é mais provável que vejamos borboletas.

Criar um jardim com “vida” e “habitat” requer “pensamento natural”. Um jardim de borboletas bem projetado complementará os comportamentos de patrulhamento, alimentação, proteção, descanso e acasalamento das borboletas. Como resultado, ele será  sustentável e de baixa manutenção.

O projeto deve evitar grandes extensões de pavimentação e áreas que exijam manutenção constante. Ou seja, um projeto que evite, medidas de controle químico, rega excessiva ou que sejam expostas aos elementos. Locais com serapilheira, casca, cavidades e buracos criam casas para muitos invertebrados e ajudam a criar e conservar um habitat das borboletas.
Em resumo, o jardineiro pode precisar considerar os tipos de localização, aspecto, clima, precipitação, sombra, sol e solo. Claramente, a seleção de plantas é crítica. Um canto das ervas daninhas geralmente tem mais vida invertebrada.
Aqui vão dicas de como criar e conservar um habitat para borboletas.

Sombra e isolamento

As árvores de sombra são importantes e devem ser espaçadas. Desse modo, pequenos territórios de luz e luz do sol possam ser patrulhados pelas borboletas.

Áreas abertas

Pequenos espaços abertos com bordas fluidas devem ser incorporados ao design, pois isso proporcionará uma aparência e função natural ao jardim. Grandes áreas abertas deixam pouca proteção contra os predadores e aumentam a exposição da borboleta ao vento e à luz solar intensa.

Calor

As borboletas são de sangue frio e precisam adquirir calor antes que o vôo seja possível. As borboletas precisam se aquecer em lugares quentes e ensolarados, fora do vento. Você pode, por exemplo, colocar pedras ou pedras de pavimentação em áreas ensolaradas e sombrias.

Diversidade e flores coloridas

Fronteiras herbáceas podem fornecer uma miscelânea para borboletas se elas contiverem plantas de néctar com flores pequenas. Para facilitar a alimentação use plantas com pequenas flores tubulares, por exemplo: buddleias, margaridas, verbenas, westringias, bursárias . É importante manter muitos tipos diferentes de plantas de néctar florescendo durante os períodos típicos de vôo de borboletas da primavera e do verão.

Água

Uma área molhada e rasa no jardim pode ser um trunfo para as borboletas, pois permitinde-lhe “reabastecer”. Além disso, essas áreas são especialmente úteis se a água é rasa, com lama para beber e pedras para descansar. Uma área úmida também pode ser usada para cultivar plantas alimentícias de lagartas.

Solo

Observar quais plantas e ervas daninhas já crescem e prosperar em sua área também pode fornecer pistas sobre o caráter de seu solo e sobre o que crescerá bem nele.

Seleção de plantas – crítica para fontes de alimento e para néctar.

Ao selecionar plantas para um jardim de borboletas, lembre-se de que as borboletas são inicialmente atraídas pelas flores de néctar que elas usam para o suprimento de energia, mas só vão morar e se reproduzir em seu jardim se as plantas de alimento da lagarta estiverem disponíveis. Uma borboleta só depositará seus ovos na planta específica que sua lagarta comerá quando emergir , por isso é tão importante conservar o habitat das borboletas.
O néctar para a borboleta adulta é melhor fornecido por plantas com pequenas flores tubulares. As borboletas não discriminam entre espécies de plantas nativas e plantas introduzidas ou cultivadas ao procurar por néctar. Se for do seu gosto, eles o usarão.

Uso químico

É importante projetar o seu jardim e selecionar espécies de plantas para atender às condições do local. Quaisquer plantas que lutam para sobreviver sucumbirão a doenças e exigirão medidas de controle não naturais para sustentar.

Retirado de “Um menu para jardinagem com sucesso de borboletas” – D. Keane

Fonte: https://butterflyconservationsa.net.au/butterflies/conservation/