NÃO É NECESSÁRIO RESERVA | FECHADO COM PREVISÃO DE CHUVA | IMPORTANTE! LIGAR PARA (11) 2908-0125 NO DIA DA VISITA PARA CONFIRMAR ABERTURA
//Transtorno de Déficit da Natureza – conheça o conceito e fuja dele!

Transtorno de Déficit da Natureza – conheça o conceito e fuja dele!

O Transtorno de Déficit da Natureza não é um diagnóstico médico mas, há evidências científicas de que a exposição da infância a ambientes naturais desperta interesse na administração ambiental e leva a carreiras e hobbies relacionados à natureza e ao meio ambiente. Certamente, eu sou um exemplo disso; Pois, tendo crescido em uma pequena fazenda de laticínios com quatro irmãos, tínhamos muito tempo não-estruturado e sem supervisão para fazer o que quiséssemos. Por exemplo:

  • Subimos as árvores mais altas
  • Pulamos de galhos até o chão
  • Rastejamos através de fendas em pilhas de feno
  • Construímos cubículos em árvores mortas empilhadas
  • Encontramos animais selvagens, incluindo cobras e aranhas
  • Tivemos lutas de lama no pântano
  • O riacho e as cavidades das árvores fingidas eram lugares mágicos
  • Nós também cuidamos de animais
  • Cultivamos legumes e passamos o tempo para a família fazendo caminhadas
  • Pescando, nadando em rios e acampando.

Comecei a me preocupar com questões ambientais por volta dos 14 anos, quando experimentei ser vegetariana. Desde então, meus hobbies, atividades recreativas, estudos e emprego têm girado em torno da natureza e da sustentabilidade. Por isso, um dos meus maiores objetivos na vida é transmitir esse mesmo amor pela terra aos meus filhos. Com esse intuito,  eu também tento levá-los a acampar mais de uma vez por ano – nós recentemente conseguimos acampar sem desperdício – e passamos nossos dias familiares regulares fazendo algo baseado na natureza.

Transtorno de Deficit de Natureza (NDD)

Eu faço o esforço porque os benefícios de crianças estarem na natureza não param com o desenvolvimento de cidadãos ambientalmente responsáveis. Pois, a ciência está provando que o tempo na natureza proporciona exercícios, reduz a ansiedade, melhora o foco, torna as crianças mais inteligentes e ajuda a desenvolver conexões mais profundas com a família.

O Transtorno do Déficit da Natureza (NDD) é o termo cunhado por Richard Louv para descrever os custos para os indivíduos que perdem a exposição à natureza (não é um diagnóstico médico). De fato, todos nós já ouvimos o pouco tempo que as crianças passam ao ar livre, em comparação com apenas algumas décadas atrás. E ainda, sabemos como isso está levando a coisas como obesidade e distúrbios comportamentais.

Agora, acrescente a isso: a falta de brincadeiras arriscadas. Pois,  esse é outro aspecto da vida de nossos filhos que foi removido. De fato, o jogo arriscado consiste em brincar livremente sem controle de adultos e assumir alguns riscos que podem envolver ferir a si mesmo. Isso significa, que é uma parte natural e positiva da brincadeira das crianças que é crucial para aprender como administrar situações e desenvolver habilidades para a vida. Por exemplo: como lidar com o medo e a raiva, e como tentar de novo, fazendo algo de uma maneira diferente. Além disso, como o jogo arriscado geralmente envolve escalar, equilibrar, saltar de alturas e ficar de cabeça para baixo, também é essencial para o desenvolvimento de habilidades motoras, equilíbrio, coordenação e consciência corporal.

Confiança na Natureza

Acredito que as crianças são naturalmente boas em conhecer suas capacidades e evitar riscos que não estão prontas para assumir.  Uma vez que, vejo isso em meus filhos o tempo todo. Com esse objetivo, deixo que eles cuidem de suas próprias brincadeiras o máximo possível. Para mim, os benefícios do jogo arriscado superam em muito os riscos potenciais.

Mas como isso se relaciona com o Transtorno de Déficit da Natureza  e o desenvolvimento da gestão ambiental? Minha experiência é que pais e guardiões excessivamente preocupados com a natureza da visão de risco são forjados com perigo. Ou seja, o risco percebido torna-se uma barreira para as crianças envolvidas em experiências baseadas na natureza e contribui para o número de indivíduos que não desenvolvem uma apreciação adequada da natureza. Eles  sofrem assim,  consequências do Transtorno de Déficit da Natureza .

Não existe tédio em meio a Natureza

Nossa recente viagem de acampamento deu às crianças muitas oportunidades de se envolver em brincadeiras arriscadas. Além disso,  simplesmente desfrutar de brincadeiras desestruturadas sem pressões de tempo por três dias. Sem dúvida, esse tipo de brincadeira com outras crianças aumenta as habilidades de resolução de problemas, foco, autodisciplina, cooperação e autoconsciência. Em outras palavras, nem uma vez nos três dias eles perguntaram “o que posso fazer agora?” Ou disseram “estou entediado”. Eles se divertiram, por exemplo,  com:

  • pescaria
  • Talhar com  canivete
  • Fingindo caçar peixes no rio com varas de lança que eles fizeram
  • Andar e brincar no rio em todas as condições meteorológicas fazendo quem sabe o que em seus mundos
  • imaginários
  • Correndo pela chuva e poças durante uma tempestade
  • Acendendo e alimentando o fogo do acampamento
  • Queimando varas e escrevendo seus nomes no ar com a fumaça
  • Escalada de rochas escorregadias
  • Balanceamento em troncos acima da água
  • Caminhe e explore a noite
  • Aprendendo a amarrar nós
  • Construindo um rack de secagem / abrigo com materiais disponíveis
  • Fazendo uma gangorra de ramos caídos
  • Olhando para as estrelas, pôr do sol e nascer do sol para apreciar a sua beleza e aprender o caminho que é norte
  • Jogando críquete, amarelinha
  • Moendo pedras coloridas diferentes e pintando seus corpos
  • Ouvindo pássaros no início da manhã e corujas à noite
  • Cantando junto com a música de violão, e
  • Socializando em volta da fogueira.

Estou incrivelmente feliz com a maneira como eles passaram o tempo. Visto que, não há melhor coisa que possamos fazer pelo bem-estar de nossos filhos e pelo bem-estar do planeta do que imergir nossos filhos na natureza em todas as oportunidades.

Tammy Logan –  Mora em uma fazenda, é mãe, uma apaixonada ecologista e é formada em biologia da conservação.

Fonte: https://www.1millionwomen.com.au/blog/wild-child-importance-exposing-children-nature/

2018-11-28T09:54:37+00:00